Budapeste – Lado Peste

Depois do roteiro do Lado Buda chegou a vez de Peste brilhar, mesmo que o nome não lhe favoreça. Este lado não é tão histórico, é muito mais movimentado tornando-o muito mais dinâmico do que a outra parte do Rio Danúbio.

1.Parlamento de Budapeste (Országgyulés)

Este esplêndido edifício legislativo é um dos mais antigos da Europa, constitui um exemplo paisagístico na capital e um dos destinos mais procurados, é o chamado “cartão postal” da cidade. É impossível ficar indiferente perante toda a sua grandiosidade.

O edifício localizado nas margens do Rio Danúbio, tem 700 salas e gabinetes e 27 entradas. Numa destas salas, a sala central com cúpula, guardam a coroa do primeiro rei húngaro, Santo Estêvão.

A fila para a visita é grande e por isso aconselho a comprarem os bilhetes online, os preços variam conforme: crianças (não pagam), estudantes UE – até aos 24 – 1100HUF, cerca de 3,5€, estudantes fora da UE 2900HUF, 9€, residentes UE 2200HUF, 6,9€ e adultos fora da UE 5800HUF, cerca de 18€.

Nota: Caso pretendam fazer o cruzeiro no Danúbio, que aconselho, podem comprar este combo –entrada no parlamento e passeio de cruzeiro – torna-se mais em conta.

 

 

2. Shoes on the Danube Bank 

Shoes on the Danube Bank é um “local turístico”, por assim dizer, em memória a 3500 vítimas que morreram neste local, e a todos os judeus que sofreram com a II Guerra Mundial. Aqui, os fascistas obrigavam as pessoas – maioritariamente judeus húngaros – a tirarem os seus sapatos e depois executavam-nas com um tiro. Os corpos caiam nas águas do Danúbio e eram arrastados pela força da corrente…

O local é marcado por uma energia histórica e não é possível visitá-lo sem fazer pelo menos um minuto de silêncio em memória a todas as vítimas destes massacres.

 

3.Basílica de St.Stephen

A basílica não é assim tão fácil de encontrar, porém existem várias placas que vão indicando os pontos turísticos da cidade – foi uma das coisas que adorei na cidade.

Começou a ser construída em 1851 e as obras só terminaram 54 anos depois, em 1905. Numa estilo arquitetônico neoclássico, conta com mais de 96 metros de altura, sendo, por isso, um dos maiores edifícios da cidade.

É possível visitar a cúpula, subindo-a pelo elevador ou pelos 364 degraus. Não fui, não me lembro a razão, mas muitos leitores dizem que vale a pena.

Basilica de St. Stephen

4 . Horror House

Sei que estarão a pensar que Horror House é mais uma daquelas atrações turísticas de casas de terror, mas nesta situação é muito diferente.

É sim um museu e também de terror, porque aborda todos os massacres existentes na Hungria devido às guerras mundiais e ao seu governo pós-guerra. Não me lembro ao certo quanto paguei, sei que os jovens têm descontos e, vale muito a pena (claro, para aqueles que se interessam pela história dos países que visitam).

 

5. Ópera da Hungria

Uma das óperas mais conhecidas mundialmente, foi construída entre 1875 e 1884, sendo inaugurada nesse mesmo ano. O seu estilo é maioritariamente neo-renascentista e em toda a sua construção é possível observar detalhes em ouro e cristais.

Fiz a visita guiada na parte interior que têm horas marcadas. Infelizmente não pude tirar fotografias lá dentro e não existem visitas guiadas em Português (mais informações).

 

6. Praça dos Heróis

A praça dos heróis nada mais é que uma grande rotunda, com a praça situada no meio e fica localizada no final da Avenida Andrássy. No entanto, à sua volta estão situados importantíssimos museus e o parque da cidade, que muitas pessoas acabam por visitar.

Avenida Andrassy

7. Castelo de Vajdahunyad

Junto à praça está o parque Vajdahunyad, muito harmonioso com o pitoresco Castelo de Vajdahunyad. O castelo está no centro do parque, foi construído em 1896 num estilo arquitetônico muito diverso, remetendo para o barroco, gótico, românico e renascentista, muito diferente do que estamos habituados – estilo medieval.

Para além do passeio no parque, com as suas inúmeras estátuas e é possível subir às torres do Castelo. Infelizmente não pude visitar o castelo em si, pois não estava aberto ao público.

Castelo Budepeste

8. Mercado Central – Nagyvásárcsarnok

Eu adoro mercados, seja em Lisboa, no Porto, em São Paulo ou Budapeste. Os mercados são os lugares onde consigo sentir-me uma verdadeira local, posso ver os valores que o país pratica, os alimentos e utensílios que os cidadãos preferem e, principalmente, costumo obter uma variedade imensa da comida gastronómica local.

O edifício do mercado é lindíssimo e quem está lá, se não souber, nem imagina que ali está um mercado. O interior de estrutura metálica, é amplo e claro. Podemos degustar queijos, chouriços, bolachinhas e outros produtos locais ou podem ir diretamente ao segundo andar onde podem comer por preços muito acessíveis.

O mercado abre de segunda a sábado, das 06h às 17h e é de entrada gratuita.

Mercado Central Budapeste

Quem já visitou a cidade está, provavelmente, a pensar que faltam aqui algumas coisa e é verdade, mas decidi dedicar mais um post “Extras de Budapeste” onde irão encontrar o que falta.

Conselho: Eu visitei a Sinagoga e não achei que valesse a pena. É o sítio mais caro da cidade, a entrada custa à volta de 12€ e o jardim “belíssimo” que falam tem uma árvore em ferro…. mas a decisão final cabe a vocês.

Boa Viagem!!

Para consultarem valores de tours, entradas em atrações e outras atividades em Budapeste vejam os sites de confiança do blog:
Get Your Guide                                          
Tiqets                                                            
Ticketbar
Procura alojamento em Budapeste? Saiba mais aqui!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s